sexta-feira, 15 de junho de 2018

Cativeiro

Quando voce se torna refem dentro de suas escolhas?

A alguns meses, fui surpreendido por alguém que jamais imaginei capaz de tamanha audácia, ou melhor dizendo, fui surpreendido por uma pessoa , que com  um simples beijo foi o responsável por, balançar minhas estruturas ( ou ainda por minhas muralhas a baixo) , acabando com essa atitude me fazer voltar a  minha adolescência perdida, mais do que isso, fazendo renascer um sentimento de encanto que a tempos não existia.

O que era para ser somente uma vez e nada mais, acabou se tornando uma tradição ( rotina), sendo a mesma , com o passar do tempo começando a me incomodar mais e mais.

Entretanto meus caros leitores, como tudo na vida, o ser que despertou isso em mim, não poderia te-lo feito, pelo simples motivo de que tem um assunto completamente inacabado, mais do que isso, o mesmo não ira resolver sua situação , por conveniência, por preguiça, ou ainda o pior por ter ainda um sentimento pelo ser que esta junto, porem, buscava alternativas a sua carência ( visto que entre os 2 não existe nada mais carnal , ou ainda, de química).

Se por um lado ele tinha a "conveniência", de ter alguém que o auxiliasse na estabilidade financeira  (não acho que esse ponto é realmente necessário), agora conseguiu alguém para suprir as necessidades "fisiológicas", "carnais" , de toques, de aventuras dessa forma conseguindo obter  (talvez por curto tempo), o tão desejado equilíbrio e estabilidade.


Obvio que a pergunta que todos devem estar tendo neste momento, é qual queria o problema de ter alguém para uns carinhos periódicos?


A resposta é simples, primeiramente não tolero traição ( como já disse em diversos textos deste blog), acho mais digno colocar um ponto final e arcar com todas as consequências de seus atos, de peito aberto e livre de culpas, do que viver em um eterno teatro, sendo o ator de sua própria rotina, de seus 
proprios desejos.

Em segundo lugar é a situação que me encontro hoje, uma posição comoda, ao ponto de eu não sentir mais necessidade de me relacionar com outras pessoas, sem a menor motivação de tentar encontrar alguém para chamar de meu, de poder quem sabe conhecer para desenvolver um presente, construindo assim, quem sabe um futuro com alguém ao meu lado.

Estou "refém" de um presente sem a menor possibilidade de um futuro, ciente de que minha condição hoje somente me "dar"direito a pequenas aventuras vazias, sem o menor direito de poder cultivar um sentimento mais profundo ( pelo conjunto de personalidades, teríamos essa possibilidade), ao contrario, periodicamente sou lembrado de que somente devo me contentar com o corpóreo, mas, não devo me ligar emocionalmente.

Não quero mais isso, todavia, ao mesmo tempo, me agrada a sensação de aventura, do proibido, aquela sensação de risco de ser pego, aquela adrenalina que surge nas insinuações, nos olhares, no flerte. Mas que de nada me adianta, se no final das contas, continuo sozinho.

Estou em uma armadilha, sendo, que hoje cheguei a conclusão de que preciso me livrar dela, mesmo que em doses homeopáticas, aos poucos...

sábado, 7 de abril de 2018

Sem importância



Como sempre volto a estaca zero, ou seja, quando tenho a impressão de que as coisas em minha vida parecem estar caminhando, “ganho” uma rasteira , fazendo com que eu regresse novamente ao inicio, as minhas inseguranças, as  mesmas incertezas que sempre me castigaram  e  me limitaram ao máximo.

Com o passar dos anos, acabei por desenvolver o entendimento  de que vim para essa existência sozinho, em uma família que elegeu ter um filho somente , sendo esse bem instruído, bem cuidado e amado, entretanto, sendo esse que se sentiria sozinho , e em muitas vezes criaria um “castelo de cartas”, para poder se sentir mais confortável nesse mundo no qual vive.

Meus caros leitores ( sempre me pergunto se existe algum), mesmo com relativamente pouco tempo de vida nessa existência, vivenciei o pior  e o mais doce que a humanidade oferece, claro que nunca fui para uma área de guerra, nunca testemunhei nenhuma morte brutal, porem, a segregação que a grande maioria dos Homo sapiens sapiens  fazem, essa vivenciei e ainda passo por ela diariamente.

Como já disse em vários ( para não dizer em quase 100% ) das postagens, as pessoas conseguem camuflar muito bem suas reais faces,  mais ainda, tem atuações dignas de atores de Hollywood, porem,  em um momento de vacilo a real personalidade / interesse surge , sendo esse infelizmente impossível de se esconder.

Nos famosos momentos de vacilo, que realmente revelamos quem realmente são as pessoas mais importantes, com quem realmente temos mais afinidade, ou seja, acabamos por mostrar um lado que acaba , sempre , em fazer gerar magoas em pessoas que  se consideravam importantes .

Novamente por um curtíssimo período, tive a ilusão de que fui importante, de que talvez eu teria encontrado finalmente um lugar no mundo, ou ainda, de finalmente havia encontrado um grupo ao qual me encaixava, no qual teria interesses em comum e até tive a ilusão de que quem sabe pessoas que me acompanhariam durante minha jornada.

Cometi novamente um erro de principiante, ou seja, depois de tantos anos de aprendizado, como pude cair novamente nas mesmas ilusões?

Como me permiti  cair no mesmo ponto que sempre cai?

Como fui estupido, para crer que me tornei mais um numero e não mais um membro pertencente a grande matriz que vivemos?

Cai meus caros e somente para variar, volto a estaca zero novamente...

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Erros


Depois de muito tempo, chego novamente a um questionamento que me causa muito desconforto dentro de mim, onde, qual foi o ponto de minha vida que  perdi meus objetivos / sonhos? Em qual momento estacionei? Como posso sair desse estagio em que me encontro?

Até chegar neste ponto  que me encontro, sempre, friso a palavra sempre, tive que me esforçar muito para conseguir obter todas as minhas conquistas, todos os meus objetivos, sendo , os mesmos alcançados, comemorados , projetando nos mesmos, outros que me levariam a outro ponto de minha vida, no qual outras metas seriam agregadas a minha vida.

Entretanto, não consigo mais ter  sonhos com a mesma intensidade que tive outrora, mais do que isso, estou preso em um looping de infelicidade, de amargura, no qual não consigo me libertar. Mais ainda, estou me tornando testemunha de pessoas, que plantaram o mau, que semearam intrigas, "vencendo" na luta pelos seus sonhos, enquanto eu, acabo absorvendo energias ruins ao crer que esses mesmos seres não merecedores de tais conquistas.

Sei meus caros que não cabe a este que vos escreve, ser o juiz do merecimento de outros homo sapiens sapiens, mais do que isso, não é e nunca foi meu  objetivo, ser aquele , que tem inveja exacerbada de todas as conquistas de seus semelhantes, porem, estou em um ponto que como não tenho mais metas definidas, ver outros "prosperando", causa em meu interior o sentimento de derrota e por conseguencia  , fazendo surgir a horrível inveja.

Mereço mais do que tenho hoje, preciso de muito mais que tenho, mais do que isso, não  é errado de modo algum ter gana de desejar algo melhor/ maior, porem,algo tem me prendido em minha atual situação, fatores esses que não consigo entender ao certo quais seriam, ou seja,  me falta o entendimento da razão pela qual não consigo evoluir, sair dessa estagnação na qual me encontro a pelo menos 6 meses.

Dentro desse tempo, também fiz algo que jamais pensei que faria, que é participar de um ato de traição, melhor explicando, me tornei um objeto de traição,fiz a mesma coisa que fizeram comigo, beijei / desejei/ fiz nascer o tesão, em alguém que já possuía compromisso ( por mais que esse relacionamento, na realidade não exista mais, porem, colaborei com a traição), sendo esse fato  agressivo a minha consciência, ou seja, por que eu tenho que estar com alguém comprometido, por que não posso ter alguém que seja somente meu e de mais ninguém? Será que não mereço ter alguém que me ame?

Por todos esses motivos acima apresentados ( e outros que não consigo no momento me expressar), me sinto hoje perdido em um deserto de emoções, mais do que isso, estou em uma ausencia completa de ideias que me ajudasse a sair dessa situação.

quinta-feira, 13 de julho de 2017

Fim de mais um ciclo


Depois, de tantas histórias já contadas  neste blog,  como também, depois de tanto tempo em absoluto silencio, hoje senti vontade de compartilhar com voces meus leitores ( se é que existe algum, se caso, houver, por favor deixe algum comentário, será um prazer saber que você existe), o final de mais um período de minha curta existência.

Quando falamos no final do ciclo, não estamos nos referindo ao fim da vida, mesmo que alguns filósofos, acreditam , que a cada aniversario, ficamos mais e mais próximos de nosso fim, como também, chegamos mais perto de se esgotar nossa força vital. O final a qual me refiro é o “ato” de completar mais uma etapa em nossas vidas no quesito amadurecimento.

Naturalmente ao ficarmos mais velhos ( ou experientes, escolham o termo que for mais agradável para voces), acabamos por ir mudando gradativamente alguma de nossas características pessoais, por mudar institivamente nossos gostos, nossas metas, nossos desejos , pois, vamos percebendo que  nossas vontades muda, se outrora gostávamos de certas coisas, hoje não mais.

Nesses anos de minha vida, passei por tantas coisas, por tantas doires, vivenciei coisas, que em nenhum momento de minha infância, achei que conseguiria aguentar, porem, como o tempo nos mostra, não existe nenhum obstáculo impossível de ser ultrapassado, muito pelo contrario, conseguimos passar por todos, mesmo que com certa dificuldade, mas com paciência e com determinação é  possível.

Durante essa jornada, acabei por desenvolver varias “cicatrizes”, sendo estas invisíveis para a grande maioria das pessoas que se relacionam comigo, entretanto, para mim elas sempre estiveram, como estão presentes em minha vida ,  como um eterno lembrete de tudo aquilo que não irei fazer novamente,  de todas aquelas situações nas quais não desejo passar .

Já é uma situação de alguns anos , que não comemoro meu aniversario , quando me refiro a comemorar,  seria planejar algo com amigos ou familiares,  ou ainda estabelecer alguma atividade especial para ser  feita na data de meu nascimento, parei de planejar, quando cheguei a conclusão ( ou melhor dizendo, fizeram eu chegar), de que não posso planejar as coisas na vida, muito menos forçar os outros a vivenciar minha utopia de um único dia.

Dessa forma meus caros, acabo tratando esse dia como mais um qualquer, sem nenhum diferencial extra ( talvez com alguns abraços e felicitações adicionais), mais não fico mais com aquele excesso de energia, achando que o dia será inacreditável de tão único, porem, chegando ao final do dia com aquela típica frustração de que foi um dia comum como tantos outros em nossa vida.

Meus leitores, encerro esse 27 ano de minha vida, sem grandes pretensões, sem grandes desejos, porem, com a paz daquele que depois, de tanto “cair”, começo a saber evitar me machucar.


E inicio esse ciclo 28, com a eterna vontade de progredir, para quem sabe conseguir ser feliz.

segunda-feira, 28 de março de 2016

5 anos e ainda sinto saudades

Uma historia que poderia ter tido um final feliz, ou ainda que seria o primeiro volume de uma linda serie recheada de aventuras, de cenas cômicas, mas que,principalmente seria recheada de amor, de companheirismo, de afinidades, dos sentimentos mais profundos e agradáveis que se esperam em um relacionamento,porem, que por causa dessa eterna busca por algo que não sabemos ao certo o que seria, acabou.

Muito foi dito, houve ameaças, sim meus caros leitores, palavras duras foram ditas, no lugar de "eu te amo", a frase mudou para "seja feliz", todas os juramentos de amor, todos os planos, absolutamente tudo com o fim não representava absolutamente nada, era como se não tivesse tido significado algum, logo , as cores foram desaparecendo, tudo foi ficando cinza, os sabores que outrora faziam bem, agora não mais e o mesmo ocorriam com lugares.

Muito foi escrito também, milhares de Sms's ao espaço, milhares de emails, mensagens no facebook, no whatsapp entre outros, com os mais diversos argumentos, com as mais estupidas replicas e treplicas, até mesmo aceitando ser convivente com a traição, somente para poder continuar mergulhado em um lago de um pseudo amor que nunca existiu, ou melhor, que somente existia de um único lado que não era reciproco, mais sim unilateral.

Contudo, meus caros leitores, como já disse em diversos textos, existe um espaço imensurável entre a razão e o coração, existe algo que é impossível de ser entendido sobre as razões que levam a nós homo sapiens sapiens a sofrer por amor, mais do que isso, os motivos que mesmo passados 5 anos, ainda não é possível superar completamente a ausência, a vontade de telefonar de perguntar como o outro ser esta.

Completamente plausível, o outro lado seguir com sua existência, como também sigo com a minha, contudo, sempre meu coração bate mais forte quando passo próximo de certos lugares, involuntariamente meu olhar acaba tentando buscar algo que não me pertence , mas, que a 5 anos atras me fez sonhar, causou em  mim um sentimento que faz muito tempo que não sinto mais que é o amor.

Tentei buscar o mesmo "sabor" em diversos lugares ( quando me refiro lugares, me refiro a pessoas), contudo, sempre todas até hoje, sempre foram vazias, algo dentro de mim, sempre me boicota, rejeita como se realmente não fosse o suficiente para me fazer feliz, logo, continuo em uma busca de algo que sei que não vou poder encontrar, pois, o que procuro não poderá ser meu novamente.

Me sinto um estupido, pois, ainda depois de 5 anos, memorias de momentos únicos e sensações maravilhosas ainda me vem na cabeça e sem querer ainda me  fazem sorrir, mais ridículo que esse sorriso é escrever um texto que sei que nunca sera lido pelo ser causador de tudo, todavia, é uma forma de liberar isso que de certa forma  me atormentou  a algumas noites.

O meu grande amor teve um triste final, sinto a 5 anos saudades, assim, como por mais ódio que tenha sido transmitido a minha pessoa, não consigo odiar, nesse caso, somente consigo sentir saudade e amor.

Sei meus caros leitores que vocês também tiveram suas decepções, afinal, os personagens mudam, porem, a essência das historias são sempre as mesmas, que esse texto sirva ( alem de desabafo meu), de reflexão para que nunca deixem de lutar por um  grande amor.

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

2015 - sem paixões que me fizeram perder a cabeça


Meus caros leitores, chegamos ao fim de mais um ano, de mais um ciclo que se encerra hoje ( sei que hoje é dia 30, que o ano termina amanhã, porem, por mais que não tenha publicado tantos textos, esse sera o ultimo desse ano), nesse ano tivemos sérios problemas nos campos, econômicos, políticos e até
mesmo digo sociais.

No campo econômico / politico, fomos bombardeados pelos mais diversos escândalos que envolveram absolutamente todos , repito todos os partidos políticos, como dizem , foi "merda" para dos os cantos, chegando inclusive na própria presidente da republica (  como sabemos ainda esta correndo um processo de afastamento da mesma do cargo ),como também já chegou ao vice presidente ( por também participar das famosas pedaladas fiscais), ao presidente da câmara dos deputados ( por umas contas misteriosas na Suíça) e recentemente ao presidente do Senado, logo com toda essa instabilidade junto aos nossos "governantes", era mais do que evidente que a nossa economia iria desandar, pois, acabamos por ficar desinteressantes aos olhos daqueles que podem trazer divisas a nossa economia.

Obvio que o intuito desse blog, não é falar de politica, contudo achei pertinente registrar a situação de nossa instabilidade , ou seja, deixar gravado que esse ano foi um ano sombrio para nós Brasileiros.

Em alguns textos desse ano, cheguei a citar que finalmente havia encontrado o amor, ou seja, que finalmente havia tido a oportunidade de voltar a "saborear" todos os sabores do amor, mais do que isso, que tinha conseguido voltar no estado em que me encontrava a 5 anos atras e realmente consegui voltar ao estado de "neutralidade" ( não amo, nem deixo de amar), contudo, esse modo em que me encontro me mostra que realmente o amor que eu estava sentindo não era algo 100% real, ou seja, na realidade o que eu sentia era a tão famosa e explicada carência.

Não vou mentir, realmente em um determinado período, eu achei que estivesse amando,  tive fé que depois de um longo período de solidão, eu deixaria de ser um eremita, que poderia realmente de uma vez por todas me  libertar perante a uma questão que ainda insiste em me aprisionar para quem sabe poder  novamente evoluir para algo mais maduro do que sou hoje.Achei que esse curto período havia encontrado alguém que tinham coisas tão diferentes, mas, ao mesmo tempo tão similares a mim, que seria possível começar  , depois de muitos anos, construir uma vida a 2, fazer nascer projetos a 2 que poderiam sim culminar em um novo capitulo de minha vida.

Dessa vez , estar neutro, me ajudou  a ver as coisas de modo mais claro, os pequenos sinais que recebi de que eu estava em um nível mais avançado na pseudo relação que estava vivendo naquele período desse ano, mais do que isso, me auxiliou a ver que também faltava de meu lado o interesse em investir,até sentia um sentimento forte, todavia, não era forte o suficiente para poder avançar para algo mais forte , para a vida de casal.

Logo, chego a conclusão de que esse 2015, foi um ano em que me faltou paixão, no campo amoroso, no campo profissional ( gosto do que faço mais, hoje perdi o encanto por ter certas atitudes pro ativas que tinha no passado) e até não porque dizer que no sexual perdi, aquela chama incontrolável, andou fraca, tive poucos ímpetos de me aventurar.

Dessa forma meus caros leitores, eu desejo que esse 2016  que se inicia, seja um ano apaixonante, que todos possamos nos apaixonar novamente com toda  força possível existente em seu ser e que sim possamos fazer um ano melhor para todos.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Perdido


Depois de tantos anos em que já tinha tudo planejado,tudo documentado, em que existiam metas a serem conquistadas / cumpridas, chego ao final de 2015, sem um horizonte, ou melhor dizendo, obtive uma excelente resolução em um determinado setor que eu precisava , contudo, não consigo pensar em outros objetivos a serem conquistados.

Até hoje ( na maioria das vezes), sempre me foi fornecido as ferramentas , ou ainda as possíveis formas de se conseguir chegar a possíveis objetivos que me ajudariam a conquistar melhores condições de vida, ou seja, ora através do estudo, ou da busca por uma nova colocação no mercado de trabalho ( que com essa crise que vivemos, alta do dólar, Impeachment da atual presidente, etc, acabou por fechar possíveis oportunidades que se encaixariam  em meu perfil),me motivavam a continuar "remando", a manter o foco de que algo melhor iria surgir.

No passado minhas escolhas foram tomadas em decorrência dessa busca por algo melhor, por alguma coisa que me motivasse a ser um ser diferente do que sou, obvio meus caros leitores, que não desejo mudar minha personalidade( mesmo não querendo algo sempre se transforma em mim), eu sempre tive uma visão de algo em meu futuro muito, mais muito diferente de minha atual realidade.

Não quero aparentar sem um mau agradecido com as minhas conquistas, ao contrario, sou grato por tudo o que me ocorreu até hoje, tanto as coisas boas ,  quanto as coisas mais negativas, todas me ajudaram a evoluir como pessoa, a agregar valor nesse homo sapiens sapiens que aqui vos escreve, contudo, o meu questionamento é algo mais intrínseco a minhas ganas pessoais, ou seja, o que eu desejo conquistar agora? Como faço para conseguir mudar? Quais as ferramentas necessárias para essa mudança?

Esses são os questionamentos que de certa forma estão me atrapalhando hoje, que estão me impedindo de traçar um caminho, de escolher uma forma de  continuar em frente para quem saber conseguir conquistar a tão sonhada felicidade.